Páginas

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Aquela viagem

Hoje o dia foi reservado para o Porto...
Não é que tenha sido um passeio, mas o certo é que andar no metro é sempre uma aventura. Adoro o movimento das pessoas a entrar e a sair, do passo apressado de muitos a subir as escadas, o olhar constante para o relogio para ver os minutos a passarem ora muito depressa ora muito devagar. A viagem em si também é agradável, enquanto esperamos pela nossa paragem podemos ver as inúmeras pessoas que também seguem viagem, podemos notar na cara delas que muitas vão para mais um dia de trabalho, outras vão em passeio e muitas chegam de malas e bagagem para umas férias merecidas. Acho que me habituava a andar neste ritmo, neste movimento...
Enquanto isso vou passeando, e hoje o metro levou-me a fazer a viagem que fiz muitas vezes há dois anos atrás, mas desta vez não ia fazer a visita do costume, desta vez fui visitar aquelas senhoras de branco que tanto fazem pelos meninos internados, e digo senhoras porque raramente se vê um homem nesta profissão, ali então nunca vi nenhum, acho que só mesmo na UCI. Voltar e dizer olá foi bom, pelo menos as pessoas ainda se lembram de nós e vê-se que ficou um carinho muito grande, afinal de contas foram uns meses valentes ali naquele lugar com as mesmas pessoas, apenas os meninos iam e vinha...
Apesar de tudo foi um bom passeio mas não quero lá voltar tão depressa, ainda há muitas recordações no ar...

domingo, 24 de julho de 2011

Home sweet Home


Ao fim de 5 anos regresso a casa...
Custa muito voltar, mas esta é a minha casa e agora tenho que me habituar a uma nova vida.

Só espero conseguir habituar-me rapidamente!!

quinta-feira, 21 de julho de 2011

O final...

Mais um ano acabou, no entanto, este não foi um ano normal. Foi “o” ano!! Foi o ano onde conheci novas pessoas, travei novas amizades, aprendi a perdoar e também a sair da minha zona de conforto.
Este ano trouxe-me uma grande alegria, o final de licenciatura. Finalmente alcancei o meu objectivo. Mas também me trouxe os convívios inesquecíveis, as amizades que ficam gravadas no coração, a bagagem para um futuro profissional. Este ano aprendi que nem tudo é fácil, mas que nem tudo é mau, que há pessoas que entram ao acaso na nossa vida com o objectivo de nos fazer ver que as coisas não têm que seguir aquele caminho certo, planeado sem margem para desvios, que mostram que a vida não deve ser levada apenas com rigor e seriedade, que um pouco de diversão faz-nos sentir melhor, que podemos ter orgulho em nós do jeito que somos. Aprendi também que os amigos estão sempre lá quando precisamos, que velhas amizades perdidas podem retomar o seu curso, que pessoas novas podem ser novos amigos, que podemos cair mas que vamos sempre levantarmo-nos com mais garra e mais força porque o que não nos mata torna-nos mais forte.
No entanto, não posso de forma alguma esconder a tristeza que me invade por ter que ir embora desta cidade, cidade esta que me viu crescer, tornar-me adulta, responsável. Foi aqui que encontrei o meu refúgio, aqui nesta cidade e também em algumas pessoas que comigo compartilham o mesmo gosto por ela. Mas aqui também aprendi o que significa a palavra desilusão, foram algumas, umas mais dolorosas que outras, umas capazes de deixar marcas que nunca mais sairão, outras que com o tempo são esquecidas… Aprendi que nem todas as pessoas são de confiança e que quando menos esperamos nos apunhalam pelas costas, mas também aprendi a sorrir nesses casos, a ser superior.
A UTAD também me vai deixar saudades, espero sinceramente não precisar de lá voltar nos próximos anos, mas realmente este é dos campus universitários mais bonitos do país e talvez da Europa, o verde é senhor e a brisa que anda no ar a rainha deste lugar, mas como qualquer rosa, também tem os seus espinhos e esses eu quero esquece-los e deixa-los para sempre dentro dos portões da universidade. Quero levar comigo apenas as boas recordações de um lugar que me viu crescer durante quatros anos e a tornar-me uma pessoa melhor.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

O meu vício...sim foste tu!

   Foste um vício para mim, sim tu e acho que o sabes. Entraste de repente na minha vida quando nada o fazia prever e por cá ficaste por eu não ter a força suficiente para te dizer que não... Tal como um vício que se ganha, entraste de mansinho e foste ganhando forças, inicialmente contra a minha vontade e já no fim porque eu permitia, porque pensava que só mais um dia não fazia mal... Estar ao teu lado foi bom, aqueles momentos realmente eram bons... Para mim parecia sempre pouco o tempo que estava contigo, mas aqueles minutos ou horas eram as mais felizes, as mais animadas as melhores, pensava eu... Mas quando ias, vinha a tristeza, a solidão, o desanimo, o desalento... pensava que apenas contigo estava bem, acho que estava mesmo viciada em ti. Estes meses de puro vicio fizeram-me bem por um lado, quem não gosta de ter alguém ao seu lado? Mas por outro lado, tal como qualquer vicio fizeram-me mal, fizeram-me ficar dependente, frágil quando ias, desanimada... Os dias até um próximo encontro eram contados com a máxima precisão, só pensava na hora em que voltava a estar contigo mesmo sabendo que era por pouco tempo e que depois disso eu não ia andar bem... Também não posso dizer que foi um desperdício de tempo, porque não o foi...afinal quem não gosta de ter alguém que por breves momentos gosta de nós, se importa, nos faz rir...mesmo que depois saiba que tudo é pura ilusão?! Todos nós gostamos!!
Ao fim destes meses, ou melhor deste mês... a mim é que me pareceram meses, recuperei desse vicio, já não me fazes "mal", já não sou dependente, já não quero saber de ti... Como vício que és, sei que posso ter recaídas, sei que posso voltar a ficar dependente de ti, mas tenho a certeza que isso não vai acontecer.
   Hoje finalmente posso dizer-te adeus, aquele que não te disse da última vez que estive contigo.
   Mas apesar de te dizer este adeus, não quer dizer que percas a amiga que inicialmente fui para ti e quando precisares sabes que podes vir bater à minha porta que estou cá para te ouvir e aconselhar! Por isso...
   Adeus e até um dia destes...!